clique aqui para exibir introdução

Página: < anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 próxima >

40 - Parabéns pelo excelente site. Informativo, bonito e muito útil! Por enquanto nada preciso de informações. Apenas e tão somente cumprimentá-los pelo trabalho maravilhoso que fazem com todos que os procuram em busca de soluções para seus respectivos problemas. De minha parte obrigado. Engº Samuel Junqueira D'Almeida. Fortaleza - Ceará.

Obrigado Samuel pelas generosas e sempre benvindas palavras de estímulo. Disponha de nosso site.

39 - Agradecendo  a atenção e gentileza, gostaria de indicação de árvores para plantar na casa que moro bem em frente ao mar, infelizmente em local que venta bastante. A trepadeira Bougainville poderá ser transformada em árvore e plantada nesse cenário? Aguardo sua ajuda. emerson nóbreaga, em joão Pessoa Pb.

Emerson, por favor nos informe qual a característica morfológica da árvore que você deseja. Qual a altura, época de florada, cor da flor, se autóctone ou exótica. São dados importantes já que sem eles estamos sujeitos a indicar um vegetal muito grande ou então muito pequeno. Quanto a Bougainville, como você mesmo escreveu, trata-se de uma trepadeira, e portanto apropriada para viver agarrada pelos espinhos, em outro vegetal maior. Não achamos boa idéia a sua, principalmente levando-se em conta que no local venta muito e que a mesma possui espinhos bastante pontiagudos, e caso a planta caia poderá machucar seriamente alguém. Aguardamos as informações solicitadas. Obrigado.

38 - Olá amigos, estive pesquisando aqui neste site sobre o fungo Cor de Rosa e fiquei muito satisfeito com a resposta, mas gostaria de saber se este fungo ou qualquer outro tipo, tem um lado próprio para nascerem nos troncos das árvores, ou seja, eles nascem para o norte,sul,lest ou weste ??? Aguardarei ansioso a resposta se puderem me ajudar, obrigado. Edvaldo Vanini. (não informou a cidade)

Edvaldo ficamos contentes em saber que você gostou do texto que demos abaixo sobre os líquens. Como já informamos na resposta à pergunta nº30, os líquens são formados pela simbiose de uma alga - que se encontra em ambientes com boa umidade - e um fungo, um dependendo do outro. Temos observado aqui em Santos, que os mesmos surgem em maior número, do lado que sopra o vento marinho e concluímos que, por se constituírem de dois elementos, alga e fungo, as primeiras muito dependendtes de água, fica bem claro essa característica de "preferência" pelo lado do tronco voltado para o mar. Em Serra Negra, Campos do Jordão e outras cidades onde existe ainda bastante mata e umidade, podemos afirmar que não ocorre esse fato, surgindo os mesmos de todos os lados, sempre em função da oferta de água, contida na neblina, muito abundante em determinadas épocas do ano. Já procuramos observar se os líquens são em maior número do lado em que o sol incide porém nada pudemos concluir a respeito. Assim deduzimos que o que os faz surgir, na verdade, é a boa oferta de umidade. Esperamos tê-lo esclarecido. Um abraço e escreva sempre.

37 - Tenho uma Camelia de aproximadamente 2,00 m de altura. Gostaria de muda-la de local, pois esta atras da casa. Como devo fazer para não danificar sua raizes? Moro em São José dos Campos. Obrigado Sergio

36.- Parabéns pelo site super bonito e bastante informativo. Por favor preciso de uma ajudinha. Moro em Canelas, e quero mudar de lugar uma camélia que possuo no quintal de casa. Ela está com cerca de 1,80m de altura e gostaria de colocá-la em lugar mais visível, no jardim da frente de casa. Como devo proceder? Muito obrigado pelas informações. Almir Assumpção Castro

Bom dia Sérgio e Almir. Duas perguntas no mesmo final de semana sobre a mesma planta. Muito interessante isso. As camélias podem ser removidas de lugar sim, desde que tomemos alguns cuidados. Nós mesmos já replantamos várias, principalmente em Campos do Jordão, seguindo os cuidados que vão abaixo:

  1. Marcar a posição em que o sol nasce, com uma fita amarrada no tronco. Isso é fácil: basta colocar o nó indicando aquela posição. 

  2. Molhar bem o solo e depois fazer um anel - pequena valeta - no mesmo, da largura de um enxadão, e com cerca de 0,50m de profundidade e 0,40-0,50m de distância do colo da planta. Durante os trabalhos vocês vão precisar de uma vanga para facilitar o corte das raízes mais grossas. 

  3. Aguardar aproximadamente 20 dias regando normalmente o "torrão" formado. Vocês vão notar que algumas folhas serão eliminadas pelo vegetal, fato esperado já que boa parte das raízes foi separada da planta.

  4. Enquanto isso preparem a nova cova, na mesma profundidade que o torrão da planta, afofando bem o solo do fundo. 

  5. Após esse tempo, escolher um dos lados do anel e abrir lateralmente uma outra cova para, a partir dela, iniciar os trabalhos de corte do raizame mais profundo e contido no torrão adrede preparado. 

  6. Depois de molhar o torrão, e de posse da vanga, cortar cuidadosamente e na horizontal, a cerca de 0,50m de profundidade  - daí a necessidade da cova lateral - as raízes remanescentes e mais profundas.

  7. Com o auxílio de uma pequena viga - sem quinas, por favor- apoiada na superfície do solo, envolver firmemente a base do tronco da planta com uma fita de material resistente (como lona, ou retalhos de tecido jeans  - não usar fio de arame ou corda de fios plásticos - evitando com isso danificar a casca da planta e retirando-a assim por completo  da cova. 

  8. Já fora da cova, envolver o torrão cuidadosamente com um saco de aniagem - desses de batata - amarrando-o com firmeza para que o torrão não se desmanche. Essa operação deverá ser feita com materiais bio-degradráveis já que os mesmos serão enterrados com a planta na nova cova: saco de aniagem, corda de cânhamo.

  9. Remover a planta até a nova cova - ainda com a viga -  tendo o cuidado de antes de ali colocá-la, verificar a posição do nó da fita, referente ao leste, para que o vegetal continue recebendo no novo local, o mesmo padrão de iluminação que recebia anteriormente.

  10. Instalar cuidadosamente o torrão na nova cova, utilizando bastante água durante essa operação,  tudo de modo a compactar naturalmente o novo substrato que será ali colocado. Por favor, não pisotear o novo substrato. A água vai fazer esse trabalho com muito mais vantagem e garantia de qualidade.

  11. Se necessário providenciar um tutor para que a planta fique no prumo.  É melhor fazer essa operação utilizando três cordas amarradas em sentidos opostos, presas no tronco e em ganchos de ferro ou estacas de madeira, fincados no solo.

  12. Regar a planta no mínimo a cada três dias durante os próximos dois meses.

Esperamos que as explicações tenham sido suficientes para o sucesso da operação.  Qualquer dúvida, voltem a escrever, ou telefonar, já que eventuais indecisões poderão surgir e serem melhor esclarecidas.  Um forte abraço à ambos. Mandem notícias sobre a operação.  Se possível com fotos, as quais muito agradeceríamos.

35 - Tenho  um pequeno vaso de Maria sem vergonha.  Na varanda aonde fica bate muito sol na parte da manhã, porém coloco uma cadeira atrás dela para não bater sol, assim ela fica na sombra e com luz intensa. Percebo que quando eu a rego, ela chupa a água com muita intensidade, e também chupa a água que fica no prato. Quanto mais água eu coloco no prato mais ela chupa toda ela. Posso colocar água no mesmo tantas vezes quanto eu quizer que ela chupa. Acho estranho pois li no site que as regas devem ser feitas a cada 2 a 3 dias. Peço esclarecimento a respeito. Obs; Moro na cidade do Rio de Janeiro, bairro Tijuca. Sara Segal

Por favor, leia cuidadosamente a resposta à pergunta nº 9 desse fórum, que versa sobre a maria-sem-vergonha, ou (Impatiens walleriana). Parte da resposta citada nós reproduzimos a seguir para sua melhor compreensão: No vaso exige os cuidados básicos. Boa drenagem e regas a cada 2 ou 3 dias, dependendo da umidade do ar. Prefere temperaturas que variem entre 15º e 21º C. Em seu e.mail você cita que a varanda onde a planta está recebe muito sol pela manhã, a ponto de ter que protegê-las com o encosto de uma cadeira. Entretanto V. esquece que, com todo esse sol – em pleno Rio de Janeiro – a temperatura ambiente do local sobe muito, e a umidade do ar deve ficar também bastante prejudicada. Nessas condições a planta tem obrigatoriamente que providenciar água para todas as suas partes, e assim seu processo de evapotranspiração trabalha no limite. Não tendo de onde obter mais água – o solo está seco – ela perde a turgidez e passa assim a mostrar suas folhas mais murchas e sem brilho. Verifique qual o teor de areia no substrato do vaso, já que areia em demasia drena muito rápido toda a água para o pratinho, ficando assim o vegetal sem condições de se hidratar corretamente. Pelo que V. relata e também pelo que explicamos acima, fica claro que o local não é o mais apropriado para sua maria-sem-vergonha, e portanto tente mudá-la de lugar. Sucesso a você e sua planta, e, por favor, nos mantenha informados quanto a melhora do estado da planta com as providências sugeridas.

34 - Olá meu nome é Silvia, adoro hortencias e tenho uma plantada no vaso, que fica na sacada e recebe o sol da manhã. Elas estavam crescendo bastante, só que agora tem algumas folhas ficando meio esbranquiçadas e não sei o que é isso? Será que alguém pode me ajudar? Moro em Presidente Prudente, SP.

Silvia, dê uma olhada na resposta para a pergunta nº6 abaixo. Parte dela diz respeito às hortênsias (Hydrangea macrophylla). Não se esqueça que esse vegetal é um subarbusto, apropriado para climas frescos - como no sul do Brasil - não se adaptando muito bem ao clima tropical. Sua folhagem é praticamente caduca e é prática recomendável que se faça a poda dos ramos brotados, ao final da florada, a cerca de 10-15cm do colo da planta. É provável que as manchas relatadas por V. já sejam fruto da necrose natural das folhas, as quais sem condições ideais para continuar com suas funções fisiológicas, acabam sendo eliminadas naturalmente pela planta, que inicia um perído de descanso (isso tudo em clima apropriado, e não em Presidente Prudente, que é, durante o dia, bastante quente). Há também um problema causado por oídio (Oidium sp.) um tipo de fungo, e que se caracteriza por manchas formadas por uma cobertura cinza esbranquiçada na parte inferior das folhas, manchas essas que depois causam a necrose do tecido, tornando-o escuro. O combate a esse fungo pode ser feito com fungicidas a base de enxofre, evitando-se também excesso de umidade nas raízes. De qualquer modo, acreditamos que seu problema esteja relacionado com o clima e a falta de poda depois da florada. Experimente e depois nos envie notícias, por favor.

33 - Gostaria que me ajudassem com a indicação de espécies de flores para forração e para media altura , que fossem perenes e indicadas para o clima frio de campos do Jordão, já tenho hortênsias, copos de leite, lavanda, necessito plantas de fácil manutenção para grandes áreas muito obrigada. Silvia

Você sabe que o forte da florada em sua cidade é na primavera quando então as praças e jardins particulares se enchem de colorido. Assim, plantas de média altura que ficam simplesmente maravilhosas são, por exemplo, a petúnia-comum ( Petúnia hybrida) - atenção para não confundir com a Petunia axillaris, mais apropriada para jardineiras suspensas - ou os gerânios ( Pelargonium domesticum ou Pelargonium hortorum ), vegetais bastante rústicos, com floradas de coloração diversa e excelentes para canteiros ensolarados e com substrato rico em matéria orgânica (adubo animal ou vegetal). Ambos florescem durante todo o ano, porém os gerânios mais intensamente durante a primavera e verão e as petúnias na primavera. Sugerimos que você procure verificar junto aos fornecedores da região a disponibilidade de outras plantas adequadas para as condições mesológicas da cidade, já que será de pouca valia indicar-lhe um ról de vegetais que eventualmente não sejam fáceis de se encontrar por lá. Se a intenção é imprimir um contraste cromático ao jardim, lembre-se de que poderão ser utilizados vegetais com folhagem colorida, dos quais temos uma verdadeira infinidade, os quais, durante todo o ano e sem manutenção tão elaborada, enfeitarão sua propriedade com graça e beleza. Sucesso e conte-nos depois como ficou tudo muito lindo..

32 - Bom dia, gostaria de saber o que está acontecendo e como devo proceder com relação às minhas palmeiras? Bom, as palmeiras Phoenix robelinii, apresentam algumas folhas amarelas nas pontas que vão crescendo em direção à base da folha, secando posteriormente. Qdo corto-as, outras começam a amarelar nas pontas tbm. Estão plantadas em vasos de 60x60. Por favor, me ajudem à salvá-las . Muito obrigado! Atenciosamente Renato. (não informou a cidade)

Renato, pelo que V. relata, suas plantas de fato estão sofrendo! Verifique primeiramente se há luz suficiente no local para que elas possam produzir açucar e amido pelo processo de fotossíntese. Quando sombreadas as plantas eliminam as folhas mais velhas numa tentativa desesperada de se manterem vivas (nas palmeiras o processo se inicia pelos folíolos mais distantes do estipe, como V. relata). Se houver luz suficiente, o problema deve ser com as regas, que podem estar sendo insuficientes ou então exageradas. Em ambos os casos o desiquilíbrio fisiológico acontece, com os problemas citados. Atenção pois com a iluminação local e as regas.

31 - Por favor ajude-nos a descobrir que árvore linda é essa, fotografada durante uma viagem que fizemos até o litoral de São Paulo. Suas flores são bastante exóticas e de um vermelho maravilhoso. Ganhamos uma galho com duas pontas para fazer mudas de estaca. Desde já muito obrigado. Arthur Aguiar Almeida Ramos

De fato essa árvore é muito bonita quando em flor. Parabéns pela qualidade da fotografia enviada. Seu nome botânico é Stenocarpus sinuatus e devido ao vermelho intenso de suas flores é chamada popularmente de árvore-de-fogo, ou roda-de-fogo. É planta que alcança cerca de 10m de altura, originária da Austrália, bastante ornamental, e infelizmente ainda pouco divulgada por aqui. É uma pena que V. não soubesse do que vamos lhe contar: A multiplicação dessa árvore só acontece por alporque (como o nosso Louro, usado na cozinha) ou então pelas sementes. Talvez esse seja o motivo de não se encontrar facilmente mudas da mesma no mercado. Procure fazer contato com o proprietário da árvore que V. fotografou e quando a mesma estiver com os frutos já amadurecendo, - são cápsulas um tanto coriáceas dentro das quais estão as sementes com as membranas, igauais ao ipê - veja se consegue algumas para semear e obter assim suas mudas. Sucesso a V.

30 - Temos em nossa propriedade de Campos do Jordão, várias árvores de pinheiro-do-paraná, além de outras espécies, que tem seus troncos bastante contaminados por manchas de diferentes cores. Meu vizinho disse que são líquens. Devemos raspar tudo com escova de aço? São parasítas? Como proceder para eliminá-los? Ajude-nos por favor que desde já ficamos muito gratos. Wilson Alencar Ferreira e esposa.

Parabéns a vocês por possuirem líquens nos troncos de suas árvores! Isso nada mais é do que sinal de que o ar local está limpo, sem poluição e suficientemente úmido. Essas "manchas", como você chama, são de fato líquens, formados pela simbiose de uma alga - que se encontra em ambientes com boa umidade - e um fungo. Um dependendo do outro. Não há necessidade alguma de retirá-los (os líquens) dos troncos pois não são parasitas e assim nada retiram das árvores. Procure observar a grande variedade de cores que eles apresentam, alguns com as bordas desfiadas, outros com as mesmas mais parecendo uma pequena folha de alface, outros bastante crespos e com cores que vão do vermelho vivo ao verde, passando pelo amarelo, cinza, cor-de-abóbora etc. Ao longo desses anos todos trabalhando com paisagismo, já vimos pessoas rasparem, literalmente, os troncos, danificando-os irremediavelmente, sem a menor necessidade. Ainda assim, caso vocês queiram mesmo se desfazer dessas verdadeiras jóias, basta aspergir um fungicida sobre os mesmos, pois, matando o fungo a alga também acabará morrendo - já que um depende do outro - e assim o conjunto todo desaparecerá.

29 - Obrigada pela resposta sobre como obter as mudas de hortênsia. Este ano tentarei novamente, de acordo com suas orientações. Tenho uma outra dúvida, ainda sobre as hortênsias, pelas quais sou apaixonada: gostaria de saber o que fazer para obter floradas mais vezes ao ano (mesmo que seja em vasos), já que nas floriculturas vejo vasos floridos durante todo o ano. Aguardo ansiosa sua resposta. Heloísa Prado

Na maioria das plantas as floradas são determinadas por um fenômeno que chamamos de fotoperiodismo, determinado pelas condições de luz e temperatura às quais as plantas são submetidas em determinadas épocas do ano, em função do movimento de translação da terra.  Algumas florescem só na primavera, outras no verão (é o caso da hortênsia), outras ainda no inverno e assim por diante.   Em meados de outubro desse ano (2006) estivemos em Campos do Jordão a serviço e pudemos presenciar uma infinidade de touceiras de hortênsias, já florindo, tudo em função da temperatura no último inverno, que não foi tão baixa. Caso V. esteja encontrando hortênsias floridas durante o ano todo, é porque os viveiristas devem estar induzindo a florada.  Isso pode ser feito submetendo as mudas já formadas a um período de sombreamento forçado aliado a baixas temperaturas (como se faz com a azálea, p. exemplo).  Depois desse período aumenta-se gradativamente a luminosidade e temperatura oferecida.  Elas, assim "enganadas" preparam-se para o verão que se aproxima,  e então podem florescer em qualquer época do ano. Espero tê-la ajudado Sugiro que V. leia com atenção a resposta dada à pergunta nº 6 na Página 1

28 - Gostaria de receber informações detalhadas sobre como proceder para produzir novas mudas de hortênsia. Tenho lido e tentado reproduzir a planta há vários anos sem sucesso. Elas até parecem que vão brotar, mas acabam morrendo. Quero saber qual a mistura ideal para a terra, se existe algum ambiente simulado, como estufa, que favoreça da brota, etc. Já tentei deixá-las a pleno sol, como li em orientações sobre jardinagem, mas elas não agüentaram, porque onde moro faz muito calor (Londrina, norte do Paraná). Tenho um grande arbusto (originado de uma muda comprada) e dois grandes vasos que florescem todos os anos e que ficam num local onde bate sol por apenas duas horas por dia. Também gostaria de saber o que fazer para obter floradas mais vezes ao ano (mesmo que seja em vasos), já que nas floriculturas vejo vasos floridos durante todo o ano. Aguardo ansiosa sua resposta. Obrigada. Heloísa Prado

Obter mudas desse subarbusto é bastante simples e fácil. Procure fazer as estacas cortando os ramos, de preferência logo depois da florada que é a época mais apropriada. Mantenha no mínimo quatro gemas em cada estaca plantando-as em areia de rio lavada e livre de outros materiais. Para resultados mais rápidos V. poderá utilizar garrafas de refrigerantes, de plástico incolor, das quais tenha cortado o gargalo fora, emborcando-as sobre várias estacas já plantadas na areia, fazendo assim pequenas mini-estufas, de preferência onde o sol da manhã incida por cerca de 3-4 horas. Cerca de no máximo 30 dias após, as raízes já deverão estar aparecendo, quando então as plantas já poderão ser transferidas para vasos ou canteiros com terra boa. Sucesso na produção de suas novas mudas.

TESTEMUNHO:- Fiz mais de 100 mudas de hortênsia quando podei-as no início desse ano (2006) sem nenhum problema. Parabéns ao site por dar as informaçõs precisas e corretas para nós que amamos as plantas. Obrigada. Odete A. de Araújo - Campinas - SP.

27- Pessoal, parabéns pelo site que descobri, por acaso, procurando informações sobre a maria-sem-vergonha. Moro em um condomínio em Belo Horizonte/MG, onde à frente de todas as casas, em canteiros de 60 cm comp x 20 larg x 20 a 30 cm de profundidade, foram plantadas maria-sem-vergonha. Elas estavam belíssimas, floridas, mas nos locais onde bate sol intenso, praticamente o dia todo, elas foram morrendo. Sobre a terra, colocaram pedrinhas brancas, aquelas para ornamentação de jardins. Gostaria de obter orientações de como cuidar dessas plantas. Elas podem ficar diretamente ao sol ? De quanto em quanto tempo devemos regá-la e qual o melhor horário ? Devemos manter estas pedrinhas sobre a terra ? No inverno o bairro onde moro é muito frio. Como cuidar delas neste período ? Como fazer para mantê-las sempre floridas ? Como cuidar das que ficam à sombra e meia-sombra ? Qual seria a outra planta indicada para que o condomínio fique bem ornamentado? Aguardo anciosamente retorno. Muito obrigado. Fabrícia Lôbo.

Amiga Fabrícia. Obrigado pelo carinho de seus cumprimentos ao site. Por favor leia a resposta à pergunta 09, abaixo. Praticamente tudo que ali está escrito se aplica às suas maria-sem-vergonha. Como V. pode constatar, não é vegetal que suporte frio intenso (você relata que seu bairro é muito frio!) e tanto sol, como você diz acontecer durante todo o dia. As regas, que não devem faltar, precisam ser aplicadas com a periodicidade que pode ser controlada observando-se sem problema a própria turgidez das folhas: Quando falta água elas começam a ficar caídas, murchas e sem vida. A melhor hora para regá-las (veja bem que estamos falando das plantas à meia sombra) é pela manhã, de preferência regando só o solo - e não toda a planta - o qual, a nosso ver, não deveria ser coberto com pedras. Atenção para a qualidade do substrato. Misture aproximadamente duas partes de composto orgânico, uma parte de terra comum e uma de areia grossa e conserve-o com um bom teor de umidade. Não esqueça que para melhor desempenho das plantas elas devem ser adubadas a cada duas ou três semanas com fertilizante químico (10-10-10) ou húmus de minhoca, esse último bem mais adequado. Não esqueça porém: No sol, com pedras sobre o solo, e eventualmente faltando regas, não dá! Quanto a outra(s) planta(s) para o jardim, experimente por exemplo a Petúnia perene Petunia integrifolia (veja foto na resposta da pergunta 09, abaixo) ou mesmo a Petúnia híbrida Petunia x hybrida Hort. ex Vilm. (na foto acima) essa última mais exigente. Esperamos tê-la ajudado.

26 - Preciso muito de um help de vocês, que se mostram tão amigos de todos que procuram ajuda! Ganhei há meses um cachorro Pastor- alemão já adulto, que tem o péssimo hábito revolver toda a terra do jardim, destruindo muito minhas plantas. O que devo fazer? Help me please. Pedro Heitor Gonçalves. Novo Hamburgo - R.G.do Sul

"O K my boy". Com "dogs" desse tamanho, não dá para ter um "garden" bem cuidado, principalmente se ele (o dog) não foi devidamente educado quando ainda jovem. Tente cercar suas plantas, ou prender o dog. num arame comprido. Desculpe, mas não podemos ajudá-lo como gostaríamos!

TESTEMUNHO:- Eu tinha o mesmo problema com cachorro, como o do leitor Pedro Heitor, de Novo Hamburgo. O cão me destruía todas as plantas com prejuízos estéticos enormes ao jardim. Adotei o conselho do site, esticando um arame grosso, de cerca de 25 metros de comprimento em duas estacas, e nele a corrente do "Felipe", meu cachorro. Ele agora tem condições de correr, pular, enfim, acabaram-se nossos problemas com as plantas, e até com a sujeira dele, que era espalhada por qualquer canto. Muito,obrigado pela idéia, tão simples. Martha G. Phelps. B. Horizonte - MG.

25 - Tenho algumas jardineiras na parte externa da casa. Vocês poderiam dar algumas dicas com relação ao tipo de flor que devo plantar ? Algumas tomam o sol na parte da mahã. Outras o dia todo. Obrigada. Eunice Willik

Prezada Eunice. Muito apreciaríamos ajudá-la porém o s dados que V. nos envia são insuficientes para uma ajuda realmente bem feita. Vejamos: Qual a profundidade e largura das jardineiras? Qual a altura em relação ao solo que as mesmas se encontram? Esses dados embora possam parecer sem muita importância, na verdade vão nos indicar a escolha correta dos vegetais, sem riscos futuros para sua manutenção. Outro detalhe também muito importante e que muitas pessoas deixam de informar é QUAL A CIDADE que V. mora. Por exemplo, se for para Santos, determinadas plantas não se adaptarão, devido nossa umidade relativa do ar ser muito elevada. V. sabia que por causa dessa umidade é muito difícl colhermos mangas aqui, embora tenhamos uma infinidade de árvores pela cidade? Por favor, volte a nos escrever informando os dados relacionados, que imenso prazer em ajudá-la.

24 - Praticamente todo mês acesso o site de vocês por achá-lo muito bem feito e instrutivo. Nele tenho encontrado explicações para uma série de detalhes sobre plantas diversas e assim, espero sinceramente que possam me ajudar: Meu gramado formado de grama santo agostinho apresenta já há meses manchas secas, praticamente circulares, que variam da cor marrom à amarela. Agora mesmo em julho fiz uma adubação nitrogenada para garantir um verdor saudável, porém nada aconteceu. Informo ainda que o gramado é muito bem irrigado todas as noites. Consultei um amigo que vende plantas e ele achou que pudesse ser a paquinha comendo as raízes. Fizemos a aplicação de veneno porém as manchas continuam. Ajudem-me, por favor, informando qual poderá ser esse problema, pelo que fico muito agradecido. Waldemar M. J. Oliveira. Serra Negra - SP.

Muito gratos pelas palavras de incentivo. É bem provável que o problema de sua grama seja a presença de um fungo chamado Rhizoctonia o qual ataca gramados de Zoysias, Bermudas e Santo Agostinho. Isso geralmente ocorre quando as temperaturas noturnas variam entre 14-15ºC. Solo com drenagem deficiente, gramado com mais de 8 horas diárias com as folhas molhadas e principalmente adubações nitrogenadas em excesso são suficientes para que o fungo se instale. Pelo que você relata e considerando sua cidade, achamos que o problema possa ser esse e assim recomendamos que primeiramente as irrigações noturnas sejam transferidas para a parte da manhã, que seja mantido um pouco mais alto o nível do gramado durante a poda nessa época, e que procure manter o nível de Nitrogênio moderado na primavera e outono. Os níveis de Fósforo e Potássio devem ser mantidos respectivamente, médio e alto. Para as providências no combate ao fungo (corretivas) sugerimos que sejam feitas aplicações com os produtos Daconil, Dithane e Rovral em intervalos de sete dias entre cada aplicação e utilizando sempre Equipamento de Proteção Individual e acompanhamento por um Engº Agrônomo. Sucesso à você e seu gramado.

TESTEMUNHO:- Meu gramado estava com problemas parecidos com os relatados pelo leitor Waldemar Oliveira. Adotei as recomendações do site quanto às regas do gramado, que passaram a ser feitas só pela manhã, e não mais à noite como costumava fazer usando os aspersores. Passaram os meus problemas! Obrigado gente. Valeu mesmo. Pedro A. Pimenta. Itatiba - SP.

23 - Ganhei de um amigo que tem sítio, uma pitangueira com cerca de 1,8m de altura e já bem encorpadinha. Muito apreciaria se os senhores pudessem me orientar sobre como proceder seu plantio e dar algumas informações complementares dessa frutífera. Saibam que consulto com certa frequência seu site, e por isso tive a iniciativa de escrever-lhes pedindo ajuda. Muito obrigado pela atenção e parabéns por tudo. Mário Symolkunt Silva - Araçatuba - SP

A pitangueira é uma planta facilmente cultivável, originária do Brasil. Por seu pequeno porte alcança, no máximo, 8m de altura caracteriza-se assim mais como arbusto do que como árvore. Por seu aspecto ornamental é usada muitas vezes como planta de jardim. Seu fruto, a pitanga, tem polpa macia e sumarenta, de coloração vermelha e suavemente perfumada. Além disso, é muito saborosa e refrescante, apresentando quando madura sabor doce ou agridoce. A pitangueira desenvolve-se bem quando plantada em regiões de clima quente e úmido. Adapta-se bem também a climas temperados suficientemente úmidos e suporta temperaturas abaixo de zero. Os solos profundos, férteis e bem drenados são os preferidos pela pitangueira. Obtem-se mudas pelo plantio de sementes, que devem ser coletadas de plantas sadias e vigorosas. O transplante para o lugar definitivo no pomar deve ser feito no início da estação chuvosa. Plante as mudas em covas de 8O x 8O x 8Ocm. Execute podas de limpeza no decorrer do crescimento da planta. Normalmente a pitangueira proporciona duas safras: uma em outubro e outra em dezembro ou janeiro.

22 - Ao visitar a casa de uma amiga fui recepcionada por uma jardineira suspensa que estava maravilhosa, muito florida e com plantas bastante saudáveis. Perguntei para minha amiga o nome da planta e ela não soube me responder. Lembrei-me de seu site, que já visitei algumas vezes, que por sinal é muito bem feito e informativo. Então conseguí algumas fotos da planta, as quais estou anexando nesse e.mail para ver se os senhores conseguem descobrir como se chama e me informar. Fico muito grata pela atenção da resposta. Joelma A. Macedo Assumpção Poços de Caldas MG

russeliaO nome da planta é russélia (Russelia equisetiformis) a qual possui ramos arqueados, verde-brilhantes, bastante divididos e com muitas folhas pequenas que lembram escamas. As flores tubulares na cor escarlate, de 2 a 5 centímetros de compr. se formam em cachos pendentes que chegam a quase 1 metro. Existe uma variedade com flores de cor branca, um pouco mais rara. Devido suas características é planta muito usada também para vasos suspensos. Bem adubada e regada floresce bastante o ano todo. É planta que prefere luz solar direta porém medra bem também em local com sombra leve. Obtem-se mudas facilmente pela simples divisão da soqueira. Obrigado pelos elogios ao site e escreva sempre.

TESTEMUNHO:- De fato é muito fácil fazer novas mudas da russélia, como está explicado no site. Tenho uma muda que produz flores brancas - que é mais rara - e tenho dado mudas à vários amigos, obtidas sem maiores problemas. Pedro S. Marcondes - São Sebastião - SP.

21 - Olá pessoal da CASASCO! Por favor, preciso de socorro urgente. Tenho uma primavera já há mais de quatro anos, que quase não produz flores e está toda esparramada sobre o muro. Tenho muita dó de podá-la e perder aqueles brotos tão lindos das pontas dos galhos. Qual será o problema da coitadinha. O que devo fazer? Muito obrigada pela ajuda, que estou certa, virá rapidinho. Maria Rita Gonçalves Mello da Silva – Jundiaí - SP

Calma que tudo se ajeita! Talvez o problema de sua trepadeira seja exatamente a falta das podas e assim, a eliminação da “dominância apical”, fenômeno que ocorre nas pontas que V. tanto admira – meristemas apicais – e onde circula a auxina, um hormônio de crescimento. Ao podá-la esse hormônio se distribuirá melhor por toda a planta proporcionando a formação de novos ramos onde surgirão as flores. Não esqueça que o solo onde ela está plantada também deve estar pobre em nutrientes. Faça uma poda bem acentuada em sua primavera, adube-a corretamente – sim a planta também tem que se alimentar – e na próxima florada você se espantará com a maravilha de florada que ela vai lhe presentear.

 

 

 

voltar ao topo